sexta-feira, 30 de maio de 2014

terça-feira, 27 de maio de 2014

Utilização de Glogs na educação

Os alunos do 11.º Ano, da professora Ana Figueiredo, elaboraram glogs (blogues gráficos) como síntese do estudo do conto "Names", obra de leitura extensiva proposta pelo Programa da Disciplina de Inglês, da consagrada autora norte-americana Maya Angelou. Foi, assim, possível integrar o trabalho a nível das competências de leitura, de escrita e de oralidade, tendo como suporte uma tecnologia Web 2.0 - o Glogster - que permite, de forma intuitiva, criar um poster multimédia online, mais próximo do universo quotidiano dos alunos, na sua maioria já nativos digitais, e consequentemente obter níveis de motivação e de sucesso na aprendizagem mais elevados. Estes são alguns dos trabalhos produzidos pelos alunos do 11.º ACT e 11.º CHLH.

 Ana Fraga, 11.º ACT

 Francisca Vilela e Inês Janeiro, 11.º ACT

 Ivo Abrantes e Guilherme Soares, 11.º ACT

 Valentino Patoleia, 11.º CHLH

 Catarina Sá, 11.º ACT

 Catarina Soares, 11.º ACT

 Ver o blogue da professora Ana Figueiredo

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Dia do Autor Português


Imagem: http://bibliotecaaco23.blogspot.pt/


  o Dia do Autor Português, comemora-se, no dia 22 de Maio, desde 1982. 
Vem visitar a nossa exposição de trabalhos e aproveita para  requisitar um livro. Aqui tens uma seleção:

Neste dia, aproveitamos para divulgar o prémio recebido pelo Luís no Concurso " Uma Aventura Literária 2014":


                     
         Crítica literária ao livro “Mataram o Rei” que o Luís (do 8º ano)  escreveu:

            Eu escolhi este livro porque me fez pensar que a vida, antigamente, na monarquia, era cruel: os ricos e nobres gastavam num dia o que podia sustentar vários pobres numa semana!
            Este livro despertou-me a atenção para um assunto que, ainda hoje, infelizmente, é de atualidade: a ganância e o amor sem limites pelo dinheiro. A personagem que ilustra esse flagelo da humanidade é o Toupeira que, pelo dinheiro, vendeu armas a países que estavam em guerra, aumentando assim a destruição e o número de mortos.
            Com este livro fiquei a saber mais sobre os costumes da nobreza: eram os pais que escolhiam os maridos para as suas filhas, sem ouvirem as suas opiniões. Felizmente, nesta história, tudo acabou bem: o pai acabou por ceder e dar a mão das filhas a quem elas queriam.
            Relativamente, ainda, ao contexto histórico, encontrei referências interessantes sobre a implementação da república e os Carbonários, um grupo de pessoas que queria “rebentar” com bombas tudo o que estava ligado à monarquia. Tomei consciências das dificuldades e da inquietação das pessoas que viveram nessa época e das discussões que ocorriam entre familiares a favor da monarquia ou da república. Geralmente, discordavam uns dos outros e falavam até altas horas sobre política.
            Em síntese, com este livro, fiquei a saber mais sobre uma época histórica do meu país que desconhecia.



terça-feira, 20 de maio de 2014

Podcasts para estudar obras da literatura portuguesa

Imagem:  http://www.ypodcast.pt/ylearnportugues

Clica na imagem e acede ao Portal  YPODCAST  onde podes encontrar resumos em mp3 para descarregares gratuitamente para o teu computador ou ouvir online  de algumas obras e autores analisados nas aulas de português 11º e 12º ano. 

Transcrevemos o índice:

11º ano

1. Sermão de Santo António aos Peixes, de Padre António Vieira

1.1 Introdução
1.2 Capitulo I
1.3 Capítulo II – Parte 1
1.3.2 Capítulo II – Parte 2
1.4 Capítulo III – Parte 1
1.4.2 Capítulo III – Parte 2
1.5 Capítulo IV
1.6 Capítulo V – Parte 1
1.6.2 Capítulo V – Parte 2
1.7 Capítulo VI

2. Frei Luís de Sousa, de Almeida Garrett

2.1 Introdução
2.2 O Sebastianismo e outros aspetos relevantes para a compreensão da obra
2.3 Etapas em Frei Luís de Sousa
2.4 O Romantismo
2.5 O Texto Dramático
2.6 O Espaço
2.7 O Espaço Social
2.8 O Tempo
2.9 Personagens
2.10 Características Trágicas
2.11 Características Românticas
2.12 Tempo e Espaço no desenrolar trágico da ação

3. Os Maias, de Eça de Queirós

3.1 Introdução
3.2 Linguagem e Estilo
3.3 Simbolismo
3.4 A Crítica Social
3.5 Episódios: O Jantar no Hotel Central
3.6 Episódios: A Corrida de Cavalos
3.7 Episódios: O Jantar dos Gouvarinho
3.8 Episódios: A Imprensa
3.9 Episódios: Sarau do Teatro da Trindade

4. Cesário Verde

4.1 Cesário Verde: Vida e Obra I
4.2 Cesário Verde: Vida e Obra II
4.3 Temáticas em Cesário Verde
4.4 Estilo
4.5 As deambulações pela cidade
4.6 Binómio cidade-campo
4.7 A humilhação
4.8 A busca da perfeição


12º ano

5. Fernando Pessoa

5.1 Introdução
5.2 O Tradicionalismo e o Modernismo
5.3 Modernismo
5.4 Fingimento Poético
5.5 Dor de pensar
5.6 Nostalgia da Infância

6. Os Lusíadas, de Luíz Vaz de Camões

6.1 Introdução
6.2 Proposição e estrutura interna
6.3 Reflexões do Poeta – Parte 1
6.3.2 Reflexões do Poeta – Parte 2
6.4 Contradicão
6.5 O ideal renascentista
6.6 A mitificação do herói



domingo, 18 de maio de 2014

Dia Internacional dos Museus

Hoje, dia 18 de maio,
celebra-se o Dia Internacional dos Museus




A palavra “MUSEU” , de origem grega, significa “templo das musas”, e já era usado em Alexandria para designar o local destinado ao estudo das artes e das ciências.
O primeiro museu público só foi criado, na França, pelo Governo Revolucionário, em 1793: o Museu do Louvre, com coleções acessíveis a todos, com finalidade recreativa e cultural.


Os museus modernos foram criados no século XVII a partir de doações de coleções particulares como a de Grimani a Veneza.
No Séc. XIX surgem muitos dos mais importantes museus em todo o mundo, a partir de coleções particulares que se tornam públicas: Museu do Prado (Espanha), Museu Mauritshuis (Holanda),etc.

Em Portugal, o MuseuNacional Soares dos Reis foi o primeiro museu. Aí podem ser admiradas entre outras obras de arte, esculturas de um dos melhores escultores portugueses de todos os tempos: Soares do Reis.  
Em Moncorvo, aproveita este dia para visitares de novo O Museu do Ferro e da Região de Moncorvo que , uma instituição museológica e cultural destinada a promover o conhecimento e a divulgação do património arqueológico e industrial do território, dos povoados e das comunidades que se formaram nas cercanias da serra do Reboredo e do Vale da Vilariça, com particular destaque para as atividades relacionadas com a exploração do Ferro.


Aproveita ainda para ires à Oficina Vinária para saberes mais sobre a tradição vinícola do nosso concelho e da região do Douro, contada através dos instrumentos utilizados no cultivo das vinhas e produção do vinho: as tesouras para podar as vinhas, as enxadas, o serrote para as cepas grossas, as panelas e malgas para servir o rancho, os cestos, os pulverizadores para a cura das vinhas, a máquina para pisar e esmagar uva, entre muitos outros objetos.

Finalmente, vai também ao Núcleo museológico dafotografia do Douro Superior do professor Arnaldo Silva e conhece a história da tua terra através da sua espantosa coleção de fotografias.
Aqui muito perto, há ainda um fantástico museu que vale a pena descobrir: O Museu do Côa
Podes ainda visitar virtualmente muitos museus em Portugal:



e ainda nos Estados Unidos

Vê ainda este filme sobre o museu Hermitage  (situado na Rússia):





 

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Ou isto ou aquilo



OU ISTO OU AQUILO de  CECÍLIA MEIRELES

Obra sinalizada nas metas curriculares para a disciplina de Português, no 2º ano, em educação literária e recomendada pelo Plano Nacional de Leitura para o 4º ano em leitura autónoma

MEIRELES, Cecília - Ou isto ou aquilo


More PowerPoint presentations from Paulo Gomes

Livro em PDF:   Ver aqui

Ficha de leitura

Alguns poemas musicados.


quarta-feira, 14 de maio de 2014

Pesquisa orientada na Web: A Caça ao Tesouro

O que é uma Caça ao Tesouro?

"A Caça ao Tesouro (CT) é uma atividade online proposta para ser resolvida através  da exploração de recursos existentes na Web. É uma forma de orientar o aluno na  procura da informação solicitada, uma vez que o bibliotecário/ professor coloca  questões, e sob cada questão são apresentados apontadores para websites, nos quais o aluno encontra a resposta pretendida. Este tipo de atividade fomenta a aprendizagem independente.
A CT tem uma estrutura simples: uma introdução, seguida de questões, sendo a última, a questão final, geralmente integradora do assunto explorado." (1)

(1) Carvalho, Ana Amélia- Aprender através dos recursos online [em linha]. Lisboa: Rede de Bibliotecas Escolares –Ministério da Educação e Ciência, 2013. p.9. [consultado em 14/05/2014]. Disponível em http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/973/bibliotecarbe4.pdf

Nota: Ver ainda, nas p.9 e 10,as  indicações para realizar uma  Caça ao Tesouro.

Sobre esta atividade de ensino aprendizagem, pode ainda ser consultado a tese de Raquel Cristina Pereira Costa (1). Neste estudo, para além da apresentação teórica da atividade e da exemplificação com vários tipos disponibilizados na web, a autora teve como principal objetivo a avaliação do impacto, no ensino aprendizagem, da Caça ao Tesouro elaborada e testada, na disciplina de Química do 9º ano.

Costa, Raquel Cristina Pereira- Caça ao Tesouro e pesquisa na web- uma actividade em ensino de química para o 9º ano {em linha]. Porto: Faculdade de ciências da Universidade do Porto, Junho de 2006. [ Consultado em 14/05/2014]. Disponível em http://nautilus.fis.uc.pt/cec/teses/raquelc/docs/tesecompleta.pdf

A Caça ao Tesouro elaborada e testada no estudo acima referido está disponível aqui:

Ver alguns exemplos elaborados pela equipa da biblioteca e publicados neste blogue com o tag  "Caça ao tesouro"

O Portal do Centro de Competências da Beira Interior disponibiliza muitas Caças ao Tesouros organizadas por ciclo e disciplina que podem ser utilizadas nas aulas. Clicar na imagem: