quinta-feira, 2 de maio de 2013

A história de um guarda-chuva



                                

Desenho, introdução e texto elaborados 

pela Adriana Rei,aluna  nº 1 do 6ºC 

Introdução:
Esta pequena história é sobre um guarda-chuva que é abandonado por uma menina, fica muito triste mas acaba por encontrar outra dona.
A ideia de fazer esta história partiu do desenho de um guarda-chuva que eu fiz numa aula de substituição com o professor Mendes, professor de Educação Visual.
Depois de nos dar várias dicas de como se faz um desenho de observação, toda a turma se concentrou no trabalho proposto, executando vários registos gráficos tendo como modelo, um guarda-chuva. No final da aula, o senhor professor deu-me a ideia de fazer uma história sobre o guarda-chuva que desenhei e, assim fiz, foi uma “brincadeira”.
 A brincar também se aprende.

             Era uma vez um guarda-chuva muito feliz
Tinha três cores: amarela, cor-de-laranja e azul.
Era um guarda-chuva de uma menina pequenina, muito engraçada.
Um dia estava a chover muito e o guarda-chuva foi com a menina para a escola.
Naquele Inverno, o guarda-chuva foi quase todos os dias com a menina
e sentia-se muito feliz porque todos os colegas da menina, e a própria menina, gostavam muito dele. Mas um dia aconteceu uma tragédia, o guarda-chuva rasgou-se!
Mal o viu rasgado a menina correu para casa, com medo de se molhar, e com a esperança de salvar o seu querido guarda-chuva.
Chegou a casa, tirou as galochas cor-de-rosa e a capa, agarrou no guarda-chuva e foi a correr ter com os pais.
A menina perguntou-lhes o que podia fazer e o pai disse que lhe comprava um igual, mas, para sua desgraça, a menina respondeu que só queria aquele porque era o seu fiel e antigo amigo.
A mãe foi ter com uma das suas amigas que conseguiu remendar o rasgo do guarda-chuva e esperou a filha, em casa, numa cadeira.
Quando a menina chegou a mãe deu-lhe o guarda-chuva, estava como novo!
A menina ficou muito feliz e foi guardar o guarda-chuva num cantinho confortável no seu armário, não querendo estragá-lo outra vez.
Cada dia que passava o guarda-chuva entristecia porque a menina já não o usava, até que um dia a menina cresceu e foi ver as suas coisas querendo deitar algumas fora. Quando viu o guarda-chuva, olhou para ele: virou-o, revirou-o, abriu-o e… pô-lo dentro de uma caixa de cartão juntamente com as coisas que não queria! O guarda-chuva chorou.
A menina queria deitar a caixa no lixo mas como estava cheio deixou-a no chão. Estava a chover, a caixa rasgou-se, ficou toda molhada e as coisas caíram.
O guarda-chuva viu uma coisa que o fez ficar emocionado, triste, admirado, feliz com todas as emoções e sentimentos: estava uma menina pequenina sentada num baloiço à chuva, muito triste a chorar, e, lá ao fundo, estavam crianças a rirem-se e gozarem com ela. Diziam: “como não tem guarda-chuva está-se a molhar!”
Ao ouvir isto, o guarda-chuva saltou, escorregou na bola que estava na caixa, pulou, pulou até que chegou perto da menina e caiu no colo dela.
A menina secou as lágrimas sorriu e abriu o guarda-chuva: agora já não se molhava!
Ambos ficaram felizes: a menina que já não se molhava e tinha um admirável guarda-chuva e o guarda-chuva que tinha uma nova dona!
                                       

Sem comentários:

Enviar um comentário